Comunicado de Imprensa, 10 de Outubro de 2007


Os distúrbios músculo-esqueléticos continuam a ser as doenças profissionais mais frequentes

De acordo com um novo relatório comparativo “Managing musculoskeletal disorders” (O papel dos factores organizacionais e abordagens participativas no tratamento dos distúrbios músculo-esqueléticos), publicado pelo Observatório Europeu das Condições de Trabalho (EWCO) da Eurofound, os distúrbios músculo-esqueléticos (DME) continuam a ser as doenças profissionais mais frequentes. Os resultados, que constituem o primeiro estudo secundário baseado no Quarto Inquérito Europeu sobre as Condições de Trabalho da Fundação, serão apresentados numa conferência dedicada aos DME que terá lugar em Lisboa nos dias 11 e 12 de Outubro.

Os DME – como lombalgias ou mialgias cervicais ou a nível dos ombros ou dos membros superiores e inferiores – são os sintomas mais frequentes dos problemas de saúde relacionados com o trabalho. O relatório estabelece que os DME estão associados a condições de trabalho árduas e ao esforço físico, tal como posições extenuantes e dolorosas, movimentos repetitivos, cargas pesadas e estações de trabalho mal concebidas. A intensificação do trabalho e o stress conduzem a cada vez mais ocorrências de DME. Surpreendentemente, as tarefas rotativas e o trabalho em equipa também estão associados a uma incidência mais elevada de DME. Os modelos de produção do tipo“lean” exigem que os trabalhadores executem tarefas repetitivas a um ritmo mais rápido, o que resulta numa maior prevalência de DME.

Uma maior autonomia sobre os métodos de trabalho, ritmo de trabalho e escolha dos tempos de pausa está associada à diminuição dos DME. O risco diminui quando os empregadores dão formação e organizam acções de consulta sobre as condições de trabalho e os factores organizacionais.

Os DME têm definições diferentes nos vários Estados-Membros, tornando difícil investigar a sua prevalência ou estabelecer tendências a nível europeu. Algumas definições estão associadas a partes distintas do corpo, como as WRULD (doenças dos membros superiores devido à actividade profissional), enquanto outras se referem às causas, como as LER (lesões por esforço repetitivo). Além disso, há uma escassez de dados ou padrões homogéneos para a monitorização dos DME. Relativamente poucos países possuem dados referentes aos custos directos com os DME, como baixas por doença e pensões por invalidez, ou a custos indirectos, como a perda de produtividade. O estudo esboça alguns padrões de boas práticas, igualmente interessantes para os governantes, empregadores e trabalhadores.

O relatório será apresentado aos governantes europeus durante uma conferência de alto nível, no âmbito da Presidência Portuguesa da União Europeia, em Lisboa, nos dias 11 e 12 de Outubro de 2007. Os jornalistas estão convidados para assistir ao evento. A conferência será aberta pelo Dr. Paulo Morgado de Carvalho, Inspector-geral das Condições de Trabalho, pelo Dr. Jorma Karppinen, Director da Fundação, e pelo Dr. António Cammarota, da Comissão Europeia. O evento inicia-se às 09:30 nas instalações da Agência Europeia da Segurança Marítima (EMSA), na Av. Dom João II, 1998-001 Lisboa.

O relatório e outras informações sobre esta conferência de alto nível estão disponíveis no site http://www.eurofound.europa.eu/

A Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Vida e de Trabalho

A Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Vida e de Trabalho é um organismo tripartido da UE, cujo papel é fornecer informação, assessoria e conhecimento especializado aos actores-chave na área da política social, com base em informação comparativa, investigação e análise. Criada pelo Regulamento (CEE) Nº. 1365/75 de 26 de Maio de 1975, a Fundação está sedeada em Dublin, na Irlanda.

O Observatório Europeu das Condições de Trabalho (EWCO) é um instrumento de monitorização das condições de trabalho na União Europeia. Fornece informação sobre a qualidade do trabalho e emprego com base na investigação da Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Vida e de Trabalho (Eurofound), bem como da sua rede de correspondentes em toda a UE dos 27 e a Noruega. Será publicado um relatório no site da EWCO http://www.eurofound.europa.eu/ewco após a conferência de Lisboa.

Mais notícias e informações sobre a Fundação encontram-se disponíveis em: http://www.eurofound.europa.eu

Registre-se para estar a par das informações da Fundação, actualizadas regularmente:
http://www.eurofound.europa.eu/newsroom/subscription.htm

Para mais informações, contacte:

  • Måns Mårtensson, Assessor de Imprensa, por e-mail mma@eurofound.europa.eu ou telefone +353-1-204-3124 ou telemóvel +353-876-593-507
  • Sara Riso, Relações Públicas, por e-mail sri@eurofound.europa.eu ou telefone +353-1-204-3216.
Useful? Interesting? Tell us what you think. Hide comments

Add new comment