Metodologia dos inquéritos da Eurofound

O objectivo do trabalho dos inquéritos da Eurofound é proporcionar informações de grande valor sobre a qualidade de vida e as condições de trabalho na Europa. A fim de cumprir este objectivo, cada inquérito visa uma população diferente para obter informações específicas.

O Inquérito Europeu sobre as Condições de Trabalho questiona os trabalhadores para obter uma imagem da qualidade do trabalho e do emprego. O Inquérito Europeu às Empresas destina-se a gestores e a representantes dos trabalhadores das empresas para recolher informações sobre as práticas no local de trabalho. O Inquérito Europeu sobre a Qualidade de Vida entrevista cidadãos europeus para obter uma perspectiva das condições de vida e das percepções da qualidade de vida.

Apesar destas diferenças em termos de população alvo, a Eurofound procura harmonizar sempre que possível a metodologia dos inquéritos, para assegurar que os ensinamentos de um inquérito sejam aplicados aos restantes.

Tal como acontece em todos os projectos de investigação, existem partes interessadas da Eurofound e peritos no domínio em causa envolvidos no desenvolvimento, execução e avaliação de todas as novas vagas de cada inquérito, assegurando a sua pertinência para os decisores políticos e parceiros sociais a nível nacional e europeu.

Através da participação de peritos no desenvolvimento dos questionários, bem como do envolvimento dos nossos peritos a nível nacional no processo de tradução, a Eurofound visa assegurar que todas as perguntas dos inquéritos captem os fenómenos do mundo real que se propõem apreender (validade).

Seleccionando cuidadosamente amostras representativas, escolhendo o modo mais adequado de gerir os questionários utilizando tecnologia de ponta, recrutando entrevistadores experientes e prestando formação completa para as entrevistas e a codificação, além de realizar uma verificação cuidadosa dos dados recolhidos, uma ponderação sofisticada e uma análise adequada, a Eurofound pretende assegurar a coerência das medições dos inquéritos (fiabilidade).

O empenho da Eurofound em produzir informação de elevada qualidade é demonstrado também pela sua estratégia de garantia da qualidade para os inquéritos.

Amostragem

Independentemente de a população alvo de um inquérito ser constituída por cidadãos, trabalhadores ou estabelecimentos europeus, não é viável recolher informações de todos os membros dessa população. É, por isso,  escolhida uma amostra de inquiridos tão representativa quanto possível da população total.

A Eurofound procura utilizar bases de amostragem da maior qualidade possível. Em cada país, tenta encontrar um registo que abranja pelo menos 95% da população alvo. No caso do ECS estes registos devem conter preferencialmente informações sobre os contactos de estabelecimentos e, por outro lado, de empresas. No que respeita ao IECT e ao EQLS os registos contêm normalmente informações sobre a morada de agregados familiares e, por vezes, de indivíduos. No IECT e no EQLS, se esse registo não estiver disponível, é gerada uma lista de possíveis inquiridos através do chamado procedimento com ‘moradas aleatórias’.

A Eurofound pretende obter amostras que sejam suficientemente grandes para gerar resultados válidos ao nível de cada país e que reflicta devidamente a distribuição da população europeia para permitir generalizações à Europa no seu conjunto. O primeiro objectivo exige que a dimensão da amostra a nível dos países seja de pelo menos 1 000 inquiridos, reduzindo a margem de erro a um nível aceitável. A segunda meta justifica a selecção de amostras mais amplas em países maiores, como sucedeu nos mais recentes IECT e EQLS.

Codificação

Por vezes, é necessário fazer perguntas abertas, ou seja, questões a que não é possível responder directamente através de um conjunto previamente determinado de respostas. Isto pode suceder, por exemplo, no caso dos sectores. O entrevistador irá anotar primeiro a resposta dada em pormenor e, mais tarde, atribuí-la à categoria adequada da Nomenclatura Estatística das Actividades Económicas (NACE) à escala europeia.

A codificação terá normalmente de ser aplicada a perguntas abertas relacionadas com o rendimento, com o nível de escolaridade’ dos inquiridos (através da Classificação Internacional do Tipo da Educação - ISCED), bem como com a região onde residem (através da Nomenclatura das Unidades Territoriais Estatísticas - NUTS).

Ponderação

Depois de concluída a fase de trabalho de campo, os conjuntos de dados têm de ser ponderados para compensar as várias causas possíveis de desequilíbrio na amostra. Por exemplo, o facto de diferentes pessoas terem diferentes probabilidades de serem seleccionadas deve ser tida em conta do ponto de vista estatístico. Quanto maior for a unidade (agregado familiar/empresa) em que as pessoas residem ou trabalham, menores são as suas possibilidades de serem entrevistadas. Além disso, as variações do nível de disponibilidade para participar num inquérito podem resultar na sub-representação de determinados grupos de inquiridos. As diferenças entre países na dimensão da sua população activa não se reflectem (totalmente) no tamanho da amostra em cada país, pelo que é utilizada a ponderação para que os países maiores tenho um peso superior nos resultados a nível da UE.

O Inquérito às Forças de Trabalho europeu é frequentemente utilizado como fonte de dados de referência para avaliar a medida em que os dados são representativos da população.

A metodologia é adaptada aos requisitos específicos de cada inquérito – estão disponíveis mais informações nas páginas de cada inquérito.