Metodologia do Inquérito Europeu às Empresas (ECS) 2009

O ECS 2009 é o segundo inquérito organizacional em grande escala realizado pela Eurofound, após o Inquérito Europeu sobre o Tempo de Trabalho e a Conciliação entre Vida Profissional e Vida Familiar (ESWT) levado a cabo em 21 países da UE em 2004-2005.

Objectivos

Os objectivos do inquérito eram os seguintes:

  • situar, avaliar e quantificar informações sobre as políticas e práticas das empresas em toda a Europa numa base harmonizada;
  • analisar relações entre as práticas empresariais e o seu impacto, bem como examinar as práticas do ponto de vista das estruturas a nível das empresas, colocando uma tónica particular no diálogo social:
  • acompanhar tendências;
  • contribuir para a Estratégia de Lisboa na questão das políticas e práticas empresariais no que respeita ao seu impacto na qualidade dos postos de trabalho, bem como ao desenvolvimento do diálogo social nas empresas. O inquérito deve permitir o desenvolvimento de indicadores homogéneos sobre estas questões para um público europeu.

Concepção e metodologia

O ECS 2009 teve lugar em 30 países: os 27 Estados-Membros mais a Croácia, a Turquia e a Antiga República Jugoslava da Macedónia (ARJM). A TNS Infratest Sozialforschung, sedeada em Munique (Alemanha), em cooperação com um grupo de peritos e institutos dedicados ao trabalho de campo nacional, foi responsável pela realização do inquérito.

O inquérito foi realizado com recurso ao sistema de entrevistas telefónicas assistidas por computador (CATI). As empresas a entrevistar foram seleccionadas aleatoriamente entre as que têm 10 ou mais trabalhadores em cada país.

Em cada empresa, foram entrevistados um representante dos responsáveis e, sempre que possível, um representante dos trabalhadores. A duração das entrevistas foi, em média, de 20 minutos para os representantes dos responsáveis e de 15 minutos para os representantes dos trabalhadores. Os questionários estão disponíveis para consulta.

O inquérito não incluiu o sector da agricultura e pescas, agregados familiares e organizações extraterritoriais. A amostragem englobou a administração pública.

Teve lugar, no final de 2009, um alargamento limitado do inquérito para recolher informações adicionais sobre o desempenho financeiro das empresas do sector privado. Ficaram assim abrangidos estabelecimentos em cinco países – Finlândia, Alemanha, Polónia, Espanha e Reino Unido – que representam diferentes ‘regimes de protecção social’.

Garantia de qualidade

Durante muitos anos, a Eurofound acumulou conhecimentos técnicos consideráveis na realização de inquéritos e desenvolveu boas práticas para assegurar a sua qualidade. O quadro de garantia de qualidade  para o ECS 2009 consiste emquatro pilares principais:

  • planeamento: planeamento e elaboração sistemática de mapas de todo o processo de investigação;
  • consultas: consultas a peritos, partes interessadas e utilizadores do inquérito no desenvolvimento do questionário, dos conceitos fundamentais do inquérito e da estratégia metodológica;
  • transparência: todo o processo de investigação deve ser transparente, interna e externamente;
  • documentação: documentação de todos os passos, decisões ou ocorrências durante o projecto, assegurando que seja possível rastrear facilmente todos os passos.

A fim de assegurar a qualidade do inquérito, e em conformidade com as práticas da Eurofound, considerou-se essencial envolver desde o início peritos e utilizadores do inquérito, por exemplo partes interessadas da Eurofound representadas por membros do Conselho de Direcção no Comité Consultivo tripartido do ECS 2009.

O relatório Avaliação da Qualidade do Segundo Inquérito Europeu às Empresas avalia a qualidade do inquérito em todas as suas etapas, desde a concepção da amostragem à disseminação final dos dados.

Para obter mais informações, contacte por favor Camilla Galli da Bino, Tel.: 00 353 1 2043125, correio electrónico: gdb@eurofound.europa.eu