Inquérito Europeu sobre a Qualidade de Vida 2016

PDF version Printer-friendly version

Inquérito Europeu sobre a Qualidade de Vida 2016

Explore as principais conclusões e os resultados globais do Inquérito Europeu sobre a Qualidade de Vida 2016 numa apresentação interativa.

O Inquérito Europeu sobre a Qualidade de Vida (EQLS) da Eurofound documenta as condições de vida e a situação social das pessoas e explora questões pertinentes para a vida dos cidadãos europeus. Entre setembro de 2016 e março de 2017, a Eurofound realizou o seu quarto inquérito da série (iniciada em 2003). No âmbito do EQLS 2016 foram entrevistadas cerca de 37 000 pessoas em 33 países – os 28 Estados‑Membros da UE e 5 países candidatos (Albânia, antiga República jugoslava da Macedónia, Montenegro, Sérvia e Turquia). As suas conclusões fornecem informações pormenorizadas sobre um amplo conjunto de questões em três domínios principais:

  • Qualidade de vida: bem‑estar subjetivo, otimismo, saúde, nível de vida e aspetos relacionados com a privação, equilíbrio entre vida profissional e pessoal
  • Qualidade da sociedade: insegurança social, perceção da exclusão social e tensões sociais, confiança nas pessoas e nas instituições, participação e empenho da comunidade e envolvimento na formação/aprendizagem ao longo da vida
  • Qualidade dos serviços públicos: cuidados de saúde, cuidados de longa duração, assistência à infância e outros serviços públicos

Principais conclusões

Explorador de dados

Visualize, explore e compare dados da UE e por país sobre a qualidade de vida, a qualidade da sociedade e a qualidade dos serviços públicos no nosso explorador interativo de dados.

Em termos globais, os resultados do EQLS 2016 revelam uma melhoria geral nos três domínios principais analisados: qualidade de vida, qualidade da sociedade e qualidade dos serviços públicos – embora não em todos os países nem para todos os grupos sociais.

Verificou-se uma melhoria geral na qualidade de vida, com algumas dimensões a recuperarem os níveis anteriores à crise. Por exemplo, os níveis de otimismo subiram relativamente ao inquérito anterior, a satisfação com os níveis de vida aumentou e os níveis de satisfação com a vida e de felicidade permanecem estáveis. A satisfação com o nível de vida convergiu em todos os Estados‑Membros, a qualidade da saúde comunicada pelos próprios inquiridos melhorou, de um modo geral, e a privação material diminuiu (mais pessoas conseguem fazer face às despesas). Contudo, o equilíbrio entre vida profissional e pessoal deteriorou-se e há sérias preocupações quanto a rendimentos insuficientes na velhice em dois terços dos países.

As conclusões revelam uma melhoria geral dos indicadores da qualidade da sociedade desde 2011. A confiança nas instituições nacionais aumentou, o envolvimento e a participação nas organizações sociais estão a aumentar, a confiança nas pessoas entre os inquiridos com idades compreendidas entre os 18 e os 24 anos aumentou, os sentimentos de exclusão social diminuíram e a perceção de tensões entre pobres/ricos, gestores/trabalhadores, idosos/jovens, homens/mulheres diminuiu. No entanto, subiu ligeiramente a perceção de tensões entre grupos religiosos e étnicos e, em menor grau, de tensões com base na orientação sexual.

Os dados mostram igualmente uma melhoria global das classificações da qualidade dos serviços públicos desde o último inquérito. Os níveis de satisfação com vários serviços públicos essenciais, como os cuidados de saúde e os transportes públicos, aumentaram. A assistência à infância melhorou em vários países onde, anteriormente, as classificações eram baixas. O acesso a instalações de reciclagem é uma questão nova em vários países, enquanto o acesso a serviços bancários nas zonas rurais é um problema em alguns países. No entanto, a qualidade dos serviços públicos continua a registar grandes variações entre os Estados‑Membros.

Contexto

Realizado a cada quatro/cinco anos, este inquérito pan‑europeu único examina tanto as circunstâncias objetivas da vida dos cidadãos como a forma como os cidadãos encaram essas circunstâncias e as suas vidas em geral, com o objetivo de criar uma fonte de dados completos sobre a qualidade de vida das pessoas na Europa. O inquérito apresenta dados sobre questões não abrangidas pelas estatísticas gerais, como a perceção da qualidade da sociedade, a confiança nas instituições e as tensões sociais. Analisa um conjunto de questões concretas, como a habitação, a privação, a família, a saúde e o bem‑estar, mas também temas subjetivos, como os níveis de felicidade das pessoas, o seu nível de satisfação com as suas vidas e a sua participação na sociedade.

  • EQLS 2003 – abrangeu 28 países: a UE‑25 e 3 países candidatos (Bulgária, Roménia e Turquia)
  • EQLS 2007 – abrangeu 31 países: a UE‑27, a Noruega e países candidatos (Croácia, antiga República jugoslava da Macedónia e Turquia)
  • EQLS 2011 – abrangeu 34 países: a UE‑27 e 7 países candidatos ou em fase de pré‑adesão (Croácia, antiga República jugoslava da Macedónia, Islândia, Kosovo, Montenegro, Sérvia e Turquia)
  • Novo EQLS 2016 – abrangeu 33 países: a UE‑28 e 5 países candidatos (Albânia, antiga República jugoslava da Macedónia, Montenegro, Sérvia e Turquia).

Metodologia

O EQLS é um inquérito realizado junto da população adulta (com idade superior a 18 anos) residente em habitações privadas, com base numa amostra estatística e abrangendo um espetro transversal da sociedade. Dependendo da dimensão do país e dos regimes nacionais, a amostra de 2016 variou entre 1 000 e 2 000 pessoas por país.

Os parceiros do inquérito realizado pela Eurofound, a agência Kantar Public, realizaram entrevistas presenciais nas casas das pessoas recorrendo ao método da entrevista direta face a face com a utilização de um computador portátil (CAPI). Estas entrevistas abrangeram uma lista exaustiva de perguntas sobre a sua qualidade de vida (todas as informações recolhidas foram tratadas com a mais rigorosa confidencialidade e foi assegurado o anonimato de cada entrevistado). O questionário do EQLS 2016 deu uma ênfase considerável aos serviços públicos: cuidados de saúde, cuidados de longa duração, assistência à infância e escolas, bem como à medição de diferentes aspetos da qualidade, como o acesso equitativo, as instalações, o pessoal e as informações disponibilizadas aos cidadãos. Estão disponíveis em linha informações sobre a metodologia do inquérito.

Informações adicionais

  • Brevemente: publicação do Inquérito Europeu sobre a Qualidade de Vida 2016: relatório geral
  • Fevereiro de 2018: debate sobre o Inquérito Europeu sobre a Qualidade de Vida, em Bruxelas
  • Os microdados do quarto EQLS estarão disponíveis em março de 2018.

As análises secundárias dos dados do inquérito incluirão os seguintes temas:

  • a confiança nas instituições na Europa no século XXI,
  • a coesão social e o bem‑estar na Europa,
  • diferenças intergeracionais,
  • a qualidade dos serviços públicos.

Para mais informações sobre os Inquéritos Europeus sobre a Qualidade de Vida, contactar Tadas Leončikas.

Useful? Interesting? Tell us what you think. Hide comments

Add new comment

Click to share this page to Facebook securely

Click to share this page to Twitter securely

Click to share this page to Google+ securely

Click to share this page to LinkedIn securely