Inquérito Europeu sobre as Condições de Trabalho (IECT)

Desde o seu lançamento, em 1990, o Inquérito Europeu sobre as Condições de Trabalho proporciona uma visão geral das condições de trabalho na Europa a fim de:

  • avaliar e quantificar as condições de trabalho dos trabalhadores por conta de outrem e trabalhadores por conta própria em toda a Europa numa base harmonizada;
  • analisar relações entre diferentes aspectos das condições de trabalho;
  • identificar grupos em risco e elementos que motivam preocupação, bem como os que permitem progressos;
  • acompanhar tendências disponibilizando indicadores homogéneos sobre estas questões;
  • contribuir para o desenvolvimento da política europeia.

O âmbito de aplicação do questionário do inquérito foi substancialmente ampliado desde a primeira edição, visando proporcionar uma imagem completa da realidade quotidiana dos homens e mulheres no trabalho. A integração da perspectiva do género foi uma preocupação importante em revisões recentes do questionário.

Os temas hoje abrangidos incluem a situação laboral, a duração e organização do tempo de trabalho, a organização do trabalho, a aprendizagem e a formação, factores de risco físicos e psicossociais, saúde e segurança, equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, participação dos trabalhadores, rendimentos e segurança financeira, bem como o trabalho e a saúde.

Em cada vaga, foi entrevistada pessoalmente uma amostra aleatória dos trabalhadores (por conta de outrem e por conta própria). Após os alargamentos europeus, o âmbito geográfico do inquérito foi ampliado:

  • Primeiro IECT, em 1990/1991: foram inquiridos os trabalhadores da CE12.
  • Segundo IECT, em 1995/1996: foram inquiridos os trabalhadores da UE15.
  • Terceiro IECT, em 2000: numa primeira fase, foram inquiridos os trabalhadores da UE15 e da Noruega, sendo o inquérito alargado, numa segunda fase, a fim de abranger os 12 “novos” Estados-Membros em 2001 e a Turquia em 2002.
  • Quarto IECT, em 2005: UE27 mais Noruega, Croácia, Turquia e Suíça.
  • O trabalho de campo para o quinto IECT teve lugar de Janeiro a Junho de 2010, com quase 44 000 trabalhadores entrevistados na UE27, Noruega, Croácia, antiga República jugoslava da Macedónia, Turquia, Albânia, Montenegro e Kosovo.